Blog

Blog

 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O e-commerce é uma das coisas mais extraordinárias criada pela Internet. E porque o e-commerce ganhou tanta relevância em tão pouco tempo? O primeiro e mais importante dos motivos é a democracia que reina na rede mundial. Construir um site, publicar um blog, criar perfis em redes sociais, abrir uma loja on-line e promovê-la está ao alcance tanto das grandes corporações quanto das pessoas singulares e micro empreendedores.

Os recursos básicos, e mesmo de alguns avançados, estão ao alcance de todos os negócios que podem assim competir em pé de igualdade. A Internet criou as condições ideais para a criação e comercialização de produtos e serviços de todas as espécies. A rede mundial contribui dessa forma para que milhares de pessoas vivam com dignidade às custas do seu próprio trabalho e recursos e para que centenas de milhares de pequenas e médias empresas não só mantenham-se no mercado como também ampliem seus negócios alcançando mercados outrora impossíveis de serem atendidos. Nesse artigo vamos abordar fundamentais para quem pretende explorar criar uma loja on line. 

 

 

Lojas On-line

Tão rápido quanto a expansão da rede foi o aparecimento das lojas on-line. Naturalmente as grandes empresas logo perceberam o potencial da Internet tanto para ampliar seus negócios quanto para estreitar o relacionamento com clientes, potenciais clientes e parceiros.

No início, a complexidade e altos custos de implementação, tornaram as lojas on-line proibitivas para as pessoas, pequenas e médias empresas. No entanto, muito rapidamente essas barreiras ruíram e os processos foram de tal forma simplificados que hoje em dia com um investimento de poucos mais de uma dezenas de reais é possível lançar um loja  on-line totalmente funcional quase que instantaneamente.

As plataformas baseadas em open source e uma imensa comunidade de desenvolvedores foram os grandes responsáveis pelo fenômeno ao qual foi acrescido das lojas nas redes sociais. Estas últimas mais simples e rápidas tendo como foco principal os micros empreendedores.

Produtos

Praticamente qualquer tipo de produto e serviço pode ser vendido pela Internet. No entanto há produtos ou melhor, serviços para os quais o meio ambiente virtual aplica-se como uma luva. São os chamados infoprodutos. Por sua vez os produtos físicos diferenciam-se entre si pela maior ou menor complexidade da logistica. Vender um fogão por exemplo é muito diferente de vender perfumes. Em relação aos produtos físicos dois aspetos são cruciais e merecem uma cuidados análise:
 

Intangibilidade

O fato de o cliente não poder tocar o produto abre portas para uma série de problemas. Cores, tamanho, dimensões, materiais, funcionamento etc podem comprometer a sua satisfação. Eis algumas coisas que ajudam reduzir os problemas e a frustração do cliente
  • Ambiente seguro. Isso é conseguido com a implementação do protocolo HTTPs
  • Um serviço de assistência rápido, esclarecedor  e eficaz por todos os meios possíveis: chat, telefone, redes sociais e email. A depender do tamanho do negócio, do volume de visitas e compras on-line uma pessoa ou uma pequena equipe bem treinada será capaz de dar conta do recado
  • Informações completas sobre o produto suas características e orientações de uso. Não negligencie nem parta do pressuposto que o cliente já sabe. Antes sobrar que faltar informação
  • Imagens de boa qualidade e sempre que possível e faça sentido, mostrando detalhes do produto
  • Informações detalhadas sobre as condições de uso da loja, proteção dos dados e condições comerciais com especial cudado com as garantias, tempo e condições de troca e devolução
rbdg img light bulb min
 
  • Contate com todo cliente que efetuar uma primeira compra após ele ter recebido o produto para saber sua opinião. Isso pode fazer um diferença muito grande. 
  • Ao longo do tempo realize pesquisas de satisfação para monitorar a satisfação do seu cliente
 

Logística Reversa

Esse aspeto refere-se a toda consequência de uma devolução seja defintiva ou para a troca do produto. O importante é que esse processo seja muito rapido. Quanto menor  o estresse a que o cliente for submetido melhor. Lembre-se que as vezes valerá mais a pena perder algum dinheiro do que correr o risco de o cliente falar mal do sua loja
 

Infoprodutos

Essa é uma categoria de produtos só possível por causa da Internet. Basicamente um infoproduto é um produto cujo ciclo que vai da pré até o pós venda, passando pela venda propriamente dita, pelo pagamento, entrega, uso e suporte é total ou na sua maior parte, realizado via Internet. Estão nessa categoria os cursos on line, livros eletronicos (e-books), jogos etc.

Como se trata de um venda, em tudo, diferente dos produtos físicos, quer seja na estratégia de marketing ou na logística trataremos deles num outro artigo. Por ora o que nos interessa são os produtos físicos.

 

O Que Você Deve Ter Em Conta Antes De Implementar Uma Loja On-line

Planejamento

Antes mesmo de decidir como você irá obter uma loja on-line é necessário fazer um cuidadoso planejamento. Eis alguns pontos a se considerar nessa tarefa:

Ítens Que Comporão O Portfolio On-line

Embora todos os itens de sua linha de produtos possam ser expostos on-line pode se dar o caso de você, por algum motivo, não querer que determinados itens apareçam.

 

Organização

A depender da extensão da gama de produtos é importante que eles estejam coerentemente organizados por família, tipos e subtipos ou qualquer outro critério que você ache adequado.

 

Código De Produto

A menos que a sua linha de produtos seja muito limitada, a sua codificação não deve ser uma simples numeração sequencial. Para uma linha mais extensa e de atributos variados a codificação de cada item deve permitir a sua clara identificação. Observe o exemplo a seguir

 

rbdg img estrutura cod prod 1 min

 

Organização Da Informação

Prepare uma planilha do Excell nomeando as colunas conforme listado abaixo. Cabe aqui uma explicação do porque de fazer isso numa planilha. Quando for inserir os produtos na sua loja on-line você poderá importá-los e uma planilha é a ferramenta certa para essa tarefa. Pegando o nosso exemplo de codificação as colunas ficariam assim nomeadas

  • Item (aqui sim, uma  numeração sequencial simples)
  • Nome da Família
  • Nome da subfamília
  • Impressão (Inserir mais colunas se houver outras características importantes)
  • Sexo
  • Tamanho 1, tamanho 2 etc.(tantas colunas quantos forem os tamanhos disponíveis)
  • Cor 1, Cor 2 etc. (tantas colunas quantas forem as cores)
  • Preços (tantas colunas quantas forem as variações de preço)
  • Descrição - É importante manter as descrições uniformizadas. Se a descrição é "Camiseta regata 100% algodão masculina com impressão à frente tamanho pequeno cor verde". Nas outras variações a sequência de atributos deve ser a mesma.
  • Embalagem - Tipo, dimensões e peso. Essas infromações serão fundamentais para o cálculo do frete.
 

Imagens

As imagens são estratégicas para a experiência do usuário uma vez que ao contrário da loja física na on-line ele não consegue tocar ou experimentar o produto. Eis algumas dicas para obter ou produzir boas imagens dos seus produtos.
 

Banco de Imagens Do Fabricante

Muitos fabricantes mantêm banco de imagens dos seus produtos. Consulte os seus fornecedores para saber se possuem imagens dos produtos.

 

Fotógrafos Profissionais

Essa é de longe a melhor solução porém é também a mais cara. Se você puder investir nos serviços de um fotógrafo economizará tempo e terá em mãos imagens de excelente qualidade. Antes de contratar um fotógrafo consulte o seu portfolio para ver o que ele já produziu.

Todos os fotógrafos profissionais são capazes de fotografar os mais diversos objetos. No entanto, nesse ramo há uma tendência de especialização. Portanto, se o seu negócio é alimentos por exemplo convém contratar um fotógrafo especialista em alimentos; o mesmo se aplica se o seu negócio é o mundo fashion.

De qualquer das formas um profissional generalista produzirá imagens muito melhores que aquele amigo ou parente que possui um boa câmara mas pouco conhecimento e prática das técnicas de fotografia.

 

Banco De Imagens

Nos bancos de imagens como o ShutterStock ou o Dreamstime você pode comprar os direitos de uso de imagens de alta qualidade. Será muito difícil encontrar imagens específicas de algum produto portanto essa é uma solução apenas para aqueles casos em que imagens genéricas bastam.

 

Produção Própria

Se no entanto você decidir fotografar você mesmo os seus produtos eis algumas dicas que podem ajuda-lo a obter melhores resultados:

 

Espaço

Escolha um local com espaço suficientemente para que você possa montar o set - espaço onde os produtos serão dispostos para a tomada da imagem - e manipular com desenvoltura os produtos. Tenha em conta que a depender da quantidade de produtos você poderá necessitar de ocupar o espaço por mais do que umas horas. 

 

rbdg img light bulb min
  • Selecione os produtos tomando o cuidado de conferir se não apresentam imperfeições inclusive nas embalagens. Convém sempre limpar tanto o produto quanto a embalagem cuidadosamente. Organize-os pelas famílias e os disponha sobre uma superfície limpa.

 

 Luz

Fotografia é essencialmente luz. O ideal é que você use pelo menos um dispositivo isto é, suporte + caixa de luz + lâmpada próprias para fotografias. Poderá obter ajuda numa loja de equipamentos para fotografia. Sempre que possível procure fotografar num ambiente de luz natural. Se for no exterior tenha especial atenção às sombras e aos reflexos.

 

Fundo Infinito

Um fundo infinito pode ser um pano branco estendido por trás do objeto. Ele será fundamental para a boa qualidade da imagem e facilitará a edição.

 

Tripé

Mesmo que você resolva utilizar a camera do seu smartphone fixe-o num tripé para estabilizar e nivelar a imagem

 

rbdg img light bulb min
  • Certifique-se de que dispoem de baterias suficientes ou fonte de energia próxima
  • Independente do dispositivo que vai utilizar prepare um cartão de memória exclusivamente para as suas imagens.
  • Crie duas pastas num computador, uma chamada OTIMIZAR e outra chamada OTIMIZADAS. Após a realização das fotos transfira-as imediatamente para a primeira pasta. Falaremos da otimização mais à frente
 

Balanço De Branco

As máquinas fotográficas e os samrtphones, se não forem muito básicos, possuem o balanço do branco. Ajuste-o para o tipo de iluminação que vai usar.

 

Orientação, Proporção, Tamanho E Qualidade

As imagens de um mesmo produto devem ter o mesmo tamanho, proporções e qualidade. Isto é, se vai usar várias imagens, e algumas estão na orientação retrato e outras na orientação paisagem deve-se manter o tamanho e proporções.

Exemplo: Se as imagens horizontais - orientação paisagem, também conhecida como landscape - tiverem a dimensão L: 2800px H: 1400px, as imagens verticais - orientação retrato, também conhecidas como portrait - deverão ter o tamanho de L: 1400px H: 2800px

 

rbdg img light bulb min
  • Fotografe sempre no maior tamanho e melhor qualidade que o seu dispositivo permitir
  • Para assegurar as condições adequadas de edição na tomada das imagens mantenha uma distância fixa entre a máquina e os produtos.

 

 

Edição

Nomear

Essa etapa trata da preparação das fotos e começa por dar nome às imagens Pegando no nosso exemplo da camiseta, uma vez que codificamos de forma inequívoca cada item o nome do arquivo pode ser simplesmente o código que atribuímos ao produto. Nesse caso: 120-001-SI-1-P-VD-H1, para a primeira imagem horizontal, 120-001-SI-1-P-VD-H2 para a segunda e 120-001-SI-1-P-VD-V1 para a primeira imagem vertical e assim por diante.

 

Separar Por Orientação

Uma vez nomeadas e para facilitar o trabalho de edição, agrupes as imagens por orientação. Um boa prática é coloca-las em pastas separadas. Nosso diretório de imagem ficaria assim

 

rbdg img file folder min

 

Redimensionar

Como as fotos foram realizadas num tamanho maior que o adequado à loja será necessário redimensioná-las e otimizá-las. É aqui que você vai entender o porque do processo de que trata esse artigo. O trabalho de redimensionar significa abrir o aquivo, abrir a função redimensionar, alterar as dimensões, aplicar as definições e salvar o arquivo redimensionado. Ou seja, uma dezena de cliques. Fazer isso para uma imagem é uma coisa para duzentas é outra.

Como padronizamos a orientação e o tamanho das imagens poderemos então usar uma função que a maioria dos editores de imagem possuem chamada processamento em lote que funciona da seguinte forma: executamos e gravamos o processo acima descrito e depois damos o comando para o editor aplica-lo ao restante das imagens. Isso reduz dramaticamente o tempo de execução dessa tarefa.

 

Otimização

O tempo de carregamento das páginas quer seja num blog, num website ou loja virtual é um fator importantíssimo. Os principais vilões nesse quesito são fotos e vídeos pois tendem a ser muito "pesados". Apenas o redimensionamento das imagens não é suficiente. Há que otimiza-las.

Existem bastantes otimizadores no mercado. Um dos que mais uso é o Optimizilla.  Trata-se de um serviço on-line gratuito que realiza um excelente trabalho. Ele otimiza imagens JPEG e PNG em lotes de até vinte imagens, informa o nível de otimização de cada imagem, mostra o antes e o depois e ainda permite-nos ajustarmos a otimização em tempo real.

Uma vez que esteja tudo pronto para você configurar e rechear sua loja sua loja on-line é hora de entender como funciona as principais plataformas de e-commerce do mercado, compara-las e escolher a que julgar mais conveniente para o seu caso.

 

Plataformas De E-commerce

Existem muitas opções para a construção da sua loja on-line. Elas podem ser agrupadas em três tipos: Autônomas, self hosted, full hosted e Redes sociais.

 

Lojas On-line Autonômas

As plataformas autônomas são aquelas cujas lojas funcionam independente de qualquer outra aplicação. Basta registrar um domínio, contratar a hospedagem, instalar a aplicação, configura-la, carregar os produtos e começar a vender.

As plataformas dessa natureza são baseadas em aplicações open source. Significa que você tem acesso gratuito à aplicação podendo instala-la e modifica-la livremente. Em linhas gerais o que acontece nesse tipo de solução é que você disporá de uma loja totalmente funcional porém, na maioria dos casos muito pobre do ponto de vista do design e das funcionalidades 

 

Suporte

Nesse tipo de plataforma o suporte e muito importante. Há duas formas de obtê-lo: gratuitamente ou pagando

Suporte Gratuito

Nessa modalidade ele é prestado pela comunidade dos desenvolvedores da plataforma através de um forum. Isso significa que se você tiver dificuldade, e é bastante provável que você tenha, terá de publicar o problema no fórum e esperar que alguém gentilmente lhe ajude

 

Suporte Pago

O suporte pago é também prestado pelos desenvolvedores porém é muito mais rápido. Os preços variam em função do nível do apoio que pode ir da instalação até a integração com outras aplicações do seu negócio, passando pelo design, configurações de componentes e addons normalmente não inclusos no preço do suporte.

Uma das excessões no que respeita o desgin e funcinalidade é o Prestashop. A loja padrão é de fato bastante boa restando apenas as funcionalidades  e suporte que deverão ser compraddas à parte como acima referido.

 

PRESTASHOP

PrestaShop FrontOffice min

 

Prestashop é uma das mais conhecidas plataformas standalone de e-commerce. Ela é muito fácil de instalar - claro que você precisa ter alguns conhecimentos técnicos - mas nada que algumas horas de estudo não resolva. A loja básica que fica disponível assim que se termina a instalação é bastante boa tanto no design quanto nas funcionalidades. Como é corriqueiro nas aplicações baseadas em software open source , você terá de comprar componentes e addons para complementar as funcionalidades padrão.

 

rbdg img light bulb minVocê pode instalar a sua loja num ambiente de teste no seu computador de modo que pode desenvolvê-la e testa-la totalmente off line e publicá-la quando tudo estiver bem. Quer saber como fazer isso? Clique aqui.(LINK)

Importante! Algumas funcionalidades tais como envio de emails, pagamentos e transferências de arquivos (FTP)  só poderão ser testadas quando a loja estiver on-line.

 

Lojas On-Line Self Hosted

Nas plataformas desse grupo você baixa a aplicação e a instala no seu site ou num domínio que você possui. A aplicação de e-commerce depende da plataforma para a qual ela foi desenvolvida. 

Tal como na categoria autonôma, também aqui você terá necessariamente de comprar componentes, addons e possivelmente usar um modelo para tornar sua loja mais atraente e com mais funcionalidades. Será também importante contratar  o suporte caso você não disponha de conhecimentos ou tempo para resolver os problemas que certamente aparecerão. Do mesmo modo, essas plataformas permitem que você desenvolva sua loja off-line par depois publicá-la. 

A Virtuemart é um exemplo desse tipo de plataforma. Ela funciona sob o CMS Joomla e como você pode notar pela imagem tem um design nada apelativo embora funcione perfeitamente. 

VIRTUEMART

rbdg img virtuemart 1 min

 

Lojas on-line Fully Hosted - Cloud Service

A computação nas nuvens criou o ambiente ideal para um sem número de serviços, dentre eles as lojas on-line. Nessas plataformas você subscreve um plano e recebe quase que instantaneamente uma loja completamente funcional bastando inserir os produtos e gerencia-la. Toda operação é feita on-line ou seja, não é possível fazer ajustes e mudanças sem estar a ela conectado.

 

rbdg img warning min

Algumas dessas plataformas cobram um percentual sobre cada transação

 

 

A Iluria é uma plataforma desse tipo. Direcionada para pequenos  e médios negócios as têm preços e demais condições bastante acessíveis. É um bom começo porém desaconselhável para negócios que demandam mais flexibilidade e integração.

 

ILURIA

rbdg img iluria 1

 

Promoção

Uma loja on-line sem publicidade é o mesmo que uma loja física numa viela sem iluminação. É crucial elaborar um plano de promoção se o qual sua loja não venderá. Basicamente você precisará de fazer campanhas de Google Adwords e Facebook Ads.

O planejamento de campanhas de inbound marketing não é exatamente uma tarefa simples. Nesse caso você tem as seguintes hipóteses: preparar-se para planejar, produzir e gerenciar suas campanhas, encarregar um colaborador dessa tarefa, sempre preferencialmente alguém do departamento comercial, ou contratar uma agência.

Nas duas primeiras hipóteses você ou o colaborador levarão um tempo para aprender e aplicar os conceitos básicos e ao longo do tempo desenvolver as competências para obter mais e melhores resultados. A contratação de uma agência abrevia significativamente a obtenção de resultados positivos. A depender da competência e aptidão sua ou do colaborador a relação custo benefício poderá ser francamente melhor na contratação da agência.

 

Resumo

  • Seja o seu negócio serviço ou produtos físicos se não tem uma loja on-line você está a perder negócios e pior que isso, está a abrir espaço para a concorrência superá-lo.
  • É fundamental planejar sua loja on-line antes de começar a sua construção. Tarefas como a organização do itens, codificação e normalização das nomenclaturas bem com a preparação de imagens e definição das condições comerciais e de usso da loja, são fundamentais para otimizar o tempo de construção e publicação.
  • A escolha do tipo de plataforma que vai utilizar é a tarefa mais completa e exigira de você disciplina, metodologia e análise criteriosa antes da sua escolha
 

rbdg img light bulb minInvista bastante tempo nessa pesquisa. Analise prós e contras, leia os comentários de outros usuários tanto no próprio site da plataforma quanto nas redes sociais. Entre nos fóruns e veja quais os principais problemas discutidos neles e as interações com o serviço de suporte.

Selecione três possíveis soluções e volte a compará-las agora de forma ainda mais minuciosa. Não se esqueça de definir os componentes e addons que necessitará – uma pesquisa nas lojas das plataformas pode ajuda-lo a descobrir suas necessidades – inclusive e muito importante, o investimento necessário em cada uma delas. 

 

  • Sempre que possível prefira soluções com suporte pago
  • Faça algum investimento em publicidade. Sem promoção sua loja não venderá.
 

Se ainda tem dúvidas ou precisa de ajuda fale connosco.

Layout responsivo

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Manter a consistência das páginas de um website, não importando o dispositivo no qual ele é visualizado, é um dos vários aspetos a ser considerado na construção do seu website. Um website é muito mais que um catálogo. Ele é o ponto de partida do Marketing Digital e quando devidamente acompanhado de outras ferramentas torna-se uma poderosa ferramenta de relacionamento com seu público e um catalisador de vendas insuperável.


Encontrabilidade

Saindo da rua escura da Internet

 
Encontrabilidade é um dos conceitos fundamentais da Internet. Um website construído em desacordo com as as melhores práticas da rede mundial é como uma loja numa viela escura qualquer, ou seja, ele nunca será encontrado e portanto, não produzira qualquer resultado.

Há três caminhos pelos quais chega-se a um website: clicando num link dos resultados orgânicos dos motores busca, clicando em anúncios, dentro ou fora dos resultados de uma busca ou ainda inserindo o enereço do website pretendido no navegador.

O trafego direto é aquele gerado por um endereço absoluto ou seja, quando sabemos exatamente o nome o site da empresa. Digitamos no navegador www.onomedosite.com  e lá chegamos. Qualquer pessoa que conheça o endereço (URL) do site da sua empresa é capaz de encontra-lo.

No entanto o que acontece na maioria das vezes é a realização de uma pesquisa na Internet para encontrarmos o produto, serviço ou informação que desejamso. Nesse exato momento há milhões de pessoas a fazer isso. Quando efetuamos uma pesquisa o navegador nos devolve uma página com os resultados encontrados chamada de SERP no jargão do inbound marketing observe a imagem abaixo

 

rbdg img serp anatomy 1 min

 

No topo e rodapé da página aparecem três ou quatro anúncios identificados pelo título ANÚNCIO assinalado pelo circulo vermelho na imagem, no centro aparece o resultado orgânico. Um clique em qualquer um desses links nos levará a um site no qual, a princípio, encontraremos aquilo que procuramos. O trafego pago é gerado pelos cliques nos anúncios ou seja, a cada clique num anúncio o anunciante paga um determinado valor para o motor de busca. Já os cliques nos links orgânicos não geram quaisquer custos para a empresa. Porém, para que um site seja exibido nos primeiros lugares dos resultados orgânicos, os motores de busca realizam uma complexa operação de avaliação que leva em consideração desde a idade do site, até critérios mais complexos como a organização e o contexto semântico dos conteúdos.

As Pequenas e Medias Empresas Não Devem Investir No Tráfego Gratuito

Esta afirmação vale basicamente para os motores de busca. Isso porque aparecer nas primeiras posições dos resultados orgânicos é uma tarefa complexa, cara demorada e também porque as recentes modificações feitas pelo Google, o maior de todos os motores de busca, alterou significativamente o modo como exibe os anúncios aumentando o seu desempenho na geração de tráfego.

SEO E Padrões Da Internet

Ainda que não valha a pena investir para aparecer nas primeiras posições das páginas de resultados orgânicos, não se deve negligenciar os padrões e as boas práticas da rede mundial.  Esses padrões e boas práticas incluem a chamada otimização para os motores de busca, tradução livre do acrônimo SEO.
Essas otimizações incluem por exemplo, as descrições das páginas, as palavras-chave relacionadas com o conteudo do site, a estruturação, qualidade e organização dos conteúdos. 

As Pequenas e Medias Empresas Devem Investir No Tráfego Gratuito

Não, isto não é uma contradição! Embora as pequenas e medias empresas não devam de todo investir em tráfego gratuito nos motores de busca ela deve investir em outra fontes desse tipo de tráfego. Trataremos desse tema numa outra oportunidade

As Pequenas E Medias Empresas Devem Investir Em Trafego Pago

O principal motivo dessa afirmação é que mesmo com um grande esforço uma pequena empresa demorará muito e talvez sequer consiga trafego significativo e consistente para o seu site através do SEO.

A segunda é que a publicidade online possui características que a tornam absolutamente acessível e quando executada a maneira correta, pode produzir resultado surpreendentes e um intervalo de tempo jamais alcançado por qualquer outro canal de comunicação. Com o inbound marketing é possível criar campanhas online e conseguir ótimos resultado com um investimento muito acessível.

Apenas a título de exemplo, com um orçamento da ordem de R$ 4.000,00 reais/mês conseguimos conquistar para um nosso cliente, em média oito novos clientes com uma venda média de R$ 3.500, 00 por projeto. Ou seja, um retorono de mais de 600% e um custo de aquisição por cliente de R$ 437,50

Além disso no marketing digital você não precisa de dispor de imediato de toda a verba. Pode-se iniciar com um pequeno investimento e aumentá-lo à medida que os resultados apareçam.

UX Ou Experiência Do Usuário

O UX, user experience, refere-se à totalidade da perceção que o internauta tem ao visitar um site e significa basicamente que quanto melhor ela for maior será a duração da visita e maiores serão as hipóteses de o Internauta interagir com ele e realizar conversões. Design harmonioso ou surpreendente, navegação logicamente estruturada, qualidade e organização do conteúdo, paleta de cores e tempo de carregamento são alguns dos itens que impactam a experiencia do visitante

Responsivo

O termo estranho, uma tradução direta da palavra inglesa responsive, refere-se à manutenção da consistência da organização do site nos diversos tamanhos de tela nos quais ele pode ser visualizado. Volte ao topo dessa página e veja a imagem do cabeçalho. Ela ilustra claramente o que isso quer dizer

Velocidade

Estamos na era da instantaneidade. As pessoas estão cada vez menos pacientes e isso tem um impacto importante na atração e retenção da atenção do internauta. Portanto, um site para ser eficaz, tem de ter um carregamento rápido. Eis alguns dados que ilustram essa questão:

  • Cerca de 71% dos usuários de internet esperam que as páginas carreguem com a mesma velocidade em smart phones, desktops e tablets
  • Um estudo divulgado pela Compuware em 27/07/17 revela que 70% dos usuários de celulares aguardam no máximo cinco segundos pela abertura de um site
  • 78% desses entrevistados só se dispoem a voltar a testar um site lento apenas duas vezes
  • Mais da metade deles (57%) afirmou já ter tido problemas para acessar websites pelo celular
  • 43% não voltariam a um site lento para carregar.

Apesar de terem uma expectativa de que o acesso ocorra rapidamente, os usuários se deparam com um grande número de sites para dispositivos móveis lentos. Das empresas que participaram da pesquisa, aproximadamente 77% delas tinham páginas que demoravam mais de 5 segundos para carregar.

Por estes números e fácil deduzir que a velocidade de carregamento do site é um fator crucial na experiência do usuário e tende a tornar-se crítica na medida em que os acessos à Internet através de dispositivos móveis tem vindo a crescer muito rapidamente.

Ferramentas De Construção De Sites

Há basicamente cinco plataformas para a construção de sites. Deve-se ter especial atenção na sua escolha uma vez que elas diferem tanto em custos quanto em flexibilidade adequando-se ou não, cada uma delas, a este ou aquele segmento de mercado.

Visão Geral Das Plataformas De Construção De Sites

Programação

Através de linguagens de programação consegue-se construir um site absolutamente personalizados tanto no design quanto nas funcionalidades. Esta solução é a mais cara e demorada de todas e é indicada apenas para grandes corporações ou situações em que o website deve interagir com outras aplicações de negócios utilizadas pela empresa.

Plataformas Faça Você Mesmo

A evolução da Internet propiciou o aparecimento de várias plataformas através das quais o próprio interessado pode construir seu site. Wix e Webly são dois exemplos.

Essas plataformas são baseadas em modelos prontos os quais o cliente pode personalizar limitadamente. Elas são mais rápidas e baratas e mais indicadas para sites cujos conteúdos modificam-se muito pouco ao longo do tempo.

Antes de contratar o serviço deve-se comparar duas ou três dessas plataformas. Todas elas funcionam mais ou menos da mesma forma: contrata-se uma base padrão à qual adicionam-se funcionalidades pagas à parte ou faz-se um upgrade da assinatura básica para se obtê-las.

No caso de lojas online essas plataformas desempenham bem o seu papel para pequenos comércios uma vez que elas são normalmente limitadas em termos de integração com outras aplicações como sistema de faturamento, pagamentos e gerenciamento de estoques.

Essas plataformas são realmente fáceis de manejar desde que você tenha um conhecimentos de básico para medio de Internet, navegadores, produção e edição e imagens. É igualmente importante conferir se a plataforma permite a utilização de domínio próprio isto é, se você poderá ter um endereço do tipo www.suaempresa.com ou se apenas www.nomedaplataforma.suaempresa.com

Plataformas CMS - Content Managmente System

Joomla, WordPress e Drupal, são três das plataformas de CMS mais conhecidas mundialmente. Elas ficam a meio do caminho entre a programação e as plataformas self-service e possuem uma excelente relação custo benefício.

Todas elas funcionam da mesma forma: existe uma base gratuita sobre a qual é possível através da instalação de plugins, addons e componentes gratuitos e pagos implementar uma vasta gama de funcionalidades bem como a utilização de modelos ou mesmo a personalização absoluta do website.

A grande vantagem dessas plataformas é que elas tanto atendem a um pequeno negócio quanto a uma grande e complexa corporação permitindo que se tenha um site robusto, com praticamente qualquer funcionalidade incluindo lojas on-line num tempo muito curto e por um custo bastante acessível se comparado com a solução programada.

Sites Associados A Serviços On-Line

Nessa categoria o principal modelo de negocio é o das antigas Páginas Amarelas. No entanto essa solução além de implicar na compra de um serviço em vias de desaparecimento, a compra de espaço de divulgação, o que oferecem é um website bastante primário.

Concluindo. Um website é para a imensa maioria das empresas, o componente mais importante da sua presença online. Sem ele não há marketing digital. Portanto, não convém improvisar. Se o seu site está defasado, não espere mais. Pesquise sobre as soluções acima descritas, eleja a de sua preferência e construa um novo site de acordo com os padrões atuais da Internet. Invista em marketing digital e veja o seu negócio alcançar muitos mais clientes e produzir rsultados rápidos e consistentes.

 

É isso!

Gostou desse conteúdo? então, compartilhe. Se precisar de mais esclarecimentos estamos à sua disposição.

 

persona-publico-alvo-segmentacao-de-mercado

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Persona, público-alvo e segmentação de mercado são termos com o quais você provavelmente já se deparou. Um claro entendimento do que esses conceitos significam é fundamental para que você possa desenvolver produtos e serviços que a sua audiência vai adorar. Nesse artigo vamos falar sobre:

Persona Ou Público-Alvo

Ainda que alguns autores insistam em distinguir persona de público-alvo o fato é que a bom rigor não existe diferença alguma. O que esses autores apontam como diferenças entre persona e publico-alvo coisas como, características psicossociais, "dor", estágio da vida etc  não passam de desconhecimento da história do Marketing.

Desde sempre os profissionais de marketing têm como objetivo fundamental conhecer o mais profundamente possível as pessoas, os consumidores a fim de desenvolver produtos e serviços o mais sintonizados e personalizados possíveis como as expetativas, desejos e comportamentos dos consumidores.

Nem mesmo os fatores tecnológicos são suficientes para sustentar essa diferenciação uma vez que o marketing sempre se apropriou das tecnologias mais avançadas, muitas delas as vezes ainda em fase de teste, para alcançar esse seu objetivo. De qualquer das formas o importante não é saber se há ou não diferenças entre esses dois termos e sim entender o que significa persona ou público-alvo, como você prefira chamar e mais que saber, como identificar a sua audiência e com ela se comunicar.

Persona e Público Alvo, Como Definí-los?

Para entender e saber como definir o seu público-alvo a sua persona, é preciso antes entender os conceitos de mercado e segmentação de mercado. É através das técnicas de segmentação que se chega ao perfil da persona, do publico-alvo ou ainda do seu ICP.    

Mercado

O primeiro passo na identificação da sua persona ou público alvo

Em marketing o conceito de mercado assume diversas conotações. Podemos falar de um mercado em termos geográficos, por exemplo, o mercado brasileiro, americano etc. Em termos de indústria: o mercado agrícola, o mercado industrial, etc. Em termos de produtos: o mercado de bebidas alcoólicas, o mercado de mobiliário etc. Em termos de serviços: o mercado financeiro, o mercado da educação etc.

No planejamento de marketing as definições generalistas e por isso abrangentes e muito abertas, como as acima citadas, carecem de especificidade ou seja, é necessário segmentar, dividir os mercados em grupos menores para se conseguir identificar claramente aqueles à quem os nossos produtos e serviços interessam diretamente. A segmentação é conseguida através de aplicação de diversos critérios que veremos a seguir.

Segmentação de Mercado

A segmentação do mercado é uma consequência da necessidade que as empresas têm de estabelecer o seu correto posicionamento ou seja, identificar o seu lugar, a “área” específica à qual o seu negócio pertence ou no qual ela pretende atuar.  Ao se posicionar a empresa identifica o universo de potenciais consumidores e reúne-os em grupos mais ou menos homogêneos ou seja, que tenham características, perfis socioeconômicos e comportamentos mais ou menos iguais, para então desenvolver produtos e serviços mais afinados com as expetativas de cada um desses grupos.

Trocando em miúdos, dizer que a empresa está posicionada no mercado de bebidas, não serve para quase nada. Porém, ao adicionar outros critérios, percebemos exatamente o espaço em que a empresa atua ou pretende atuar. Portanto, dizer que a empresa atua no mercado de alimentos, no segmento de bebidas sem álcool e segmentando ainda mais, no segmento das bebidas gaseificadas ou no segmento das bebidas baseadas em suco de frutas congelado estabelece com mais precisão a sua posição embora seja ainda necessária adicionar outros fatores de segmentação para que se aumente a precisão na identificação da persona, do público-alvo.

Fatores de Segmentação

Os fatores de segmentação agrupam-se nas seguintes categorias:

  • Geográficos Demográficos
  • Psicográficos
  • Comportamentais

Importante notar que uma segmentação correta implica na aplicação de todos esses fatores em maior ou menor grau a depender do negocio, produto ou serviço.

 

 

A segmentação geofísica é o primeiro nível da abordagem à segmentação. Ela é fundamental mesmo para as corporações mundiais em decorrência de um grande número de fatores que podem afetar o desenvolvimento, produção, distribuição e comunicação de bens e serviços.

A segmentação do mercado por esse critério pode ir afunilando-se até ao extremo da menor unidade geográfica e ainda considerar outros fatores como o climático por exemplo.

Decorrentes dessa segmentação os negócios são classificados como locais, por exemplo uma loja, um restaurante de bairro, regionais àqueles que atendem uma cidade, estado ou região, nacionais, continentais ou mundiais.

Importante! Em se tratando de marketing digital no âmbito das pequenas e médias empresa esse critério é fundamental já que sem ele o risco de investir recursos comunicando com um público que a empresa muito dificilmente conseguirá atender é enorme. 

 

 

Tal como a geográfica, a segmentação de mercado pelo critério demográfico é relativamente fácil de se realizar uma vez que esses dados constam dos estudos realizados por institutos oficias tal como o IBGE no Brasil e o INE em Portugal, e são disponibilizados gratuitamente aos interessados. Quantos mais critérios se utilizam mais reduzido e homogêneo será o grupo. É importante notar que esses critérios possuem diferentes velocidades de mudança. Enquanto o tamanho da família, as faixas etárias e as classes sociais tendem a se modificar em intervalos de tempo mais longo a renda e a posse de bens, por exemplo, podem se modificar muito rapidamente.

Segmentação De Mercado Por Gênero

O símbolo que representa o género no gráfico acima enseja uma leitura importante derivada das significativas mudanças culturais que as sociedades, pelo menos as ocidentais, sofreram nos últimos anos. Se anteriormente a separação entre homens e mulheres era suficiente, hoje já não são mais. O fenômeno social dos casais gays e das famílias homossexuais ganharam tamanha dimensão que propiciou a criação de produtos e serviços específicos para esse público.

Segmentação Mercado Por Faixa Etária

A segmentação por faixa etária é também de fácil dedução: crianças, adolescentes, adultos, idosos são critérios os quais ainda carecem de uma segunda divisão a fim de se identificar com mais precisão o perfil do cliente ideal.

Segmentação Étnica

O resultado da segmentação étnica é fundamental na criação de produtos específicos para certos grupos como por exemplo os alimentos Kosher para a comunidade judia ou os produtos de beleza para comunidades de afrodescendentes o que e implica em aspetos técnicos de fabricação e preparação. No entanto a sua maior importância é mesmo cultural como no caso dos alimentos para a comunidade judaica. A negligência do fator cultural, mesmo em regiões de um mesmo território, pode significar o fracasso de um produto. Desde a simbologia de determinados animais para certos países ou etnias como por exemplo a vaca para os indianos e o sapo para a etnia cigana, passando pelas cores e até mesmo certos componentes podem afetar de maneira drástica o desempenho de um produto.

Segmentação Por Classe Social

A segmentação por classes sociais dá-se em consonância com os critérios de renda e posse de bens normalmente definidos pelos institutos de pesquisa e planejamento macroeconómicos de cada país. Portanto, a classe A, B e C diferem de pais para país tanto no que respeita esses critérios quanto nos critérios psicossociais.

 

 

Se a segmentação geografia e demográfica são facilmente apreendidas e relativamente fáceis de se aplicar a segmentação psicográfica de comportamental nem por isso. A medida que se vai estratificando o mercado mais complexos tornam-se os critérios, ferramentas e técnicas destinadas a agrupar os indivíduos e grupos homogêneos. Isso porque essa segmentação é conseguida através da investigação e estudo de fatores socioculturais que não são exatamente simples de se levar a cabo.

Na era pré Internet as grandes companhias recorriam aos pesquisadores e cientistas sociais investindo grandes somas para identificar e entender o comportamento de grupos de consumidores com o objetivo de desenvolver produtos e serviços os mais personalizados possíveis.

Reuniões de grupos, estudo de uso de produtos em cenários reais, aqueles em que um grupo representativo do ICP é recrutado para utilizar um produto por um tempo e relatarem ao pormenor a sua experiência, são apenas duas das técnicas utilizadas nesse tipo de estudo.A fim de diminuir as margens de erro dessas avaliações as empresas gastavam, previamente, outros tantos milhões em estudo estatísticos visando obter ainda mais precisão na seleção desses respondentes.

Todo esse investimento se justifica e é necessário pois estão normalmente relacionados com a fabricação de produtos de massa o que implica em vultosos investimentos em sua produção, distribuição e promoção. É claro que os custos dessas investigações são proibitivos para a generalidade das empresas.

No entanto com o advento da Internet esse cenário mudou radicalmente beneficiando tanto as grandes corporações quanto as pequenas e medias empresas que de forma democrática passaram a contar com ferramentas mais rápidas, precisas e baratas  que lhes permitem conhecer com mais precisão e sem grandes esforços financeiros o seu potencial cliente, o seu público-alvo, a sua persona.

A redes sociais vieram dar uma grande colaboração nesse sentido uma vez que nelas as pessoas se expõem de forma ativa e publicamente de modo que é possível acompanhar, ainda que não com a precisão das investigações acima referidas, os diversos grupos e perceber um pouco mais as sua personalidade, os seus valores.

 

 

A segmentação de mercado pelo critério comportamental, tal como dito acima, é também complexa de se estabelecer. Em linhas gerais a segmentação comportamental está relacionado com a atitude da pessoa em relação a um produto ou categoria de produtos. Vejamos as etiquetas acima ilustradas. Os heavy users são aqueles que usam intensamente um produto ou categoria de produto ou serviço. Os entusiastas são aqueles apaixonados por uma marca ou tipo de produto/serviço. Os inovadores querem ser os primeiros a comprarem uma novidade, já o adotantes tardios são exatamente o contrário destes. O exemplo mais palpável de formador de opiniões são as personalidades públicas que ao usarem ou falarem de um produto ou marca transferem a elas a sua credibilidade. Porém não são apenas as personalidade públicas que possuem esse poder. Qualquer pessoa que tenha algum tipo de autoridade pode igualmente ser um formador de opinião.

Na era da Internet os formadores de opinião surgem a todo momento. Pessoas que até ontem eram ilustres desconhecidos passaram rapidamente a ditar comportamentos e a arrastarem milhares de pessoas que as acompanham imitam. Os conscientes do preço e da qualidade prescindem de explicação.  

Persona e Público-Alvo

Uma vez apreendido o conceito de segmentação fica mais fácil entender o conceito de persona e público-alvo. Na realidade, como já tivemos oportunidade de referir nesse artigo (LINK PARA O ARTIGO DE PUBLICO ALGO) a bom rigor não existe diferença entre público-alvo e persona. O que os profissionais de marketing digital dizem a esse respeito ou seja, que persona é diferente de público-alvo, é uma meia verdade ou desconhecimento da história do marketing. Vamos então esclarecer o porque do equivoco

Segmentação Extrema

Desde sempre o sonho de todo profissional de marketing é tratar cada cliente como único ou seja, conhecer profundamente o perfil do cliente ideal, a sua persona, para desenvolver ofertas as mais personalizadas possíveis. No extremo essa segmentação extrema da lugar ao ao conceito de marketing one-to-one ou seja marketing de um para um.

O Que É Uma Persona E Quais São As Suas Características?

Segundo vários profissionais, principalmente do marketing digital, no “desenho” da sua persona você tem de identificar muito detalhadamente o perfil do seu cliente ideal e para isso, além de usar os critérios geográficos, e demográficos você tem identificar suas dores, medo, desejos e expetativas ou seja, usar os critérios psicográficos e comportamentais.

Ora! Isso é exatamente o que fazem, desde sempre, os profissionais de marketing das grandes corporações quando se utilizam de estudos avançados, técnicas e ferramentas sofisticadas para definir com a máxima precisão perfis altamente pormenorizados de potenciais consumidores. Aliás, é através desses estudos que as empresas detetam tendências e criam produtos para satisfazê-las. 

Portanto, falar que persona é diferente de público-alvo é no mínimo uma impropriedade, ou desconhecimento de um dos conceitos basilares do marketing. Alguém cunhou o termo persona e isso tornou-se um jargão principalmente aplicado no chamado marketing digital o qual não passa de dar um nome diferente para algo que já existia. Persona ou público-alvo vão dar ao mesmo ou seja, a identificação do seu ICP. 

Como Definir A Sua Persona

Primeiro, um negócio pode e deve, muitas das vezes, definir não a persona mas sim as suas personas. O número de personas vai depender da variedade dos seus produtos e serviços mas, numa pequena ou media empresa, elas nunca serão muitas. Um exemplo: uma loja de roupas masculinas e femininas terá pelo menos dois grupos de público-alvo, um feminino outro masculino

Para definir as suas personas basta você transformar as bases de segmentação em perguntas e respondê-las de acordo com aquilo que você de antemão já sabe sobre as suas personas, pesquisando sobre as perguntas que você não sabe o que responder e perguntado diretamente à sua audiência.

  • Onde estão localizadas?
  • São homens, mulheres ou ambos?
  • Qual a faixa etária?
  • São Casados?
  • Qual a sua ocupação? Etc.

Conforme já referido anteriormente as questões relativas ao estilo de vida e comportamento são um pouco mais complexas de responder. No entanto com os avanços das novas tecnologias está muito próximo o dia em que compraremos produtos e serviços, em alguns casos, absolutamente exclusivos. Não há dúvidas de que num futuro, não muito distante, poderemos acessar a linha de produção do fabricante e comandar ao detalhe a fabricação do bem que compramos.

Até lá o que já acontece e continuará cada vez mais a acontecer é nos expormos é utilizarmos os mecanismos e os novos canais para dizer o que queremos, como queremos e quando queremos uma produto ou serviço. Uma pesquisa pelas redes sociais e observação das manifestações de pessoas com perfis próximos daquele que você julga ideal para o seu negócio ajudará na tarefa de construção do perfil das suas personas.

Definitivamente o sentido da decisão inverteu-se. O tempo de fabricar produtos tendo como base em possíveis respostas do público-alvo ou da persona, como queira você se referir, estão a ficar para trás. Será o consumidor que espontaneamente dirá ao fabricante o que, quando e como ele quer comprar um bem, consumir um serviço. Aliás, criar um produto virtual e testar a sua aceitação antes de fabrica-lo já é uma realidade. Daí ao fabricante nos entregar "a chave" da fábrica é um pequeno salto.

 

Obrigado pela leitura e não deixe de partilhar esse conhecimento


 

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Entender os conceitos financeiros é fundamental para o planejamento, tomada de decisão, controle e avaliação dos resultados. Essa afirmação surge a propósito de uma confusão que ocorre com frequência em vários tamanhos e tipos de empresa para as quais os valores empregues nas ações de marketing são, muitas da vezes, tratadas como despesa ao invés de investimentos.  Investimento pressupõem algum ou alguns tipos de retorno. Ou seja, eles devem promover por exemplo a manutenção ou aumento do volume das vendas.

A falta dessa compreensão está na raiz da baixa eficácia das ações de marketing levadas a cabo por essas empresas e na crença, igualmente comum, de que "a propaganda não funciona...

para o meu negócio". A primeira consequência de uma real compreensão do conceito de investimento é perceber que sendo um investimento antes de se definir o seu tamanho é preciso saber exatamente o que se quer alcançar. Tal como ao adquirir uma nova máquina leva-se em consideração o quanto a mais se pretende produzir de um determinado item no marketing, seja ele digital ou tradicional, também é necessário em primeiro lugar estabelecer-se o que se quer alcançar para então se dimensionar o esforço financeiro necessário para atingir o que se pretende.

As definições de objetivos e metas devem vir acompanhada de um plano de ação, agenda de execução e métricas de desempenho. Dito assim isso pode parecer complicado, no entanto esse raciocínio estruturado pode e deve ser aplicado mesmo em ações muito simples.

Vejamos um exemplo.

Uma pequena empresa de prestação de serviços de reparações domésticas possui uma carteira de 500 clientes e pretende aumentar essa carteira para 600.

Qual é o objetivo?

  • Captar 100 novos clientes

Em quanto termpo?

  • 8 Semanas

Qual é a meta?

  • 12,5 Clientes/Semana

Qual ação será  utilizada?

  • Distribuição de panfletos nas caixas de correios

Onde se dará a ação?

  • Nas regiões A, B, C e D

Qual o valor total do investimento?

A empresa realiza de vez em quando esse tipo de ação e a cada 10.000 panfletos ela consegue 10 novos clientes.

O custo de impressão é de $ 90,00 para cada 10.000

O custo de distribuição é de $ 50,00 para cada 10.000

Dividindo-se o obejtivo 100/10 temos então a necessidade de mandar imprimir 10x10.000 ou seja, 100.000 panfletos

O custo de impressão será então 10*$90,00 = $900,00

Aos quais soman-se os custos de distribuição de 10*$50,00 = $500,00

Total: $ 1.400,00

Programação

4 Semanas

Semana 1 e 5 > 25.500 folhetos na região A

Semana 2 e 6 > 25.500 folhetos na região B

Semans 3 e 7 > 25.500 folheros na região C

Semana 4 e 8 > 25.500 Folhetos na região D

Indicadores de desempenho

Nº de telefonemas gerados pelos panfletos

Nº de pedidos de orçamento

Nº de orçamentos fechados

Análise de desempenho:

Deve-se preparar uma planilha para se fazer os lançamentos diários com acumulação automática de modo que se possa acompanhar o desempenho. É também importante que os colaboradores conheçam a campanha e saibam qual é o objetivo e o modo como deve registrar os resultados.

ROI

O Retorno Sobre O Investimento pode ser calculado da seguinte forma:

Imaginemos que em média cada serviço gere uma fatura bruta de $100,00 com um resultado final de $60,00 aquilo que sobra descontado o custo direto. Logo o faturamento total será de $10.000,00 e o resultado liquido $6.000,00. Uma vez que foram investidos $1.400,00 o retorno será de $4.600,00 ou seja 328%.

Outros Indicadores

CAC - Custo de Aquisição por Cliente. A soma do valores investidos divididos pelo número de clientes. Nesse caso hipotético seria de $14,00

TICKET MÉDIO - Valor médio dos pedidos. Pode-se comparar esse indicador entre as regiões para se perceber se há difrenças siginificativas entre elas ademais de comparações de outros indicadores como o número de contatos, orçamentos e pedidos. O gráfico abaixo ilustra o funil de vendas para esta ação-

 

 

Evidentemente os números podem parecer irreais e provavelmente são. No entanto o que importa aqui é entender o mecanismo de avaliação dos resultados do investimento em comparação com os objetivos previamente definidos.

Obrigado pela leitura! Não deixe de avaliar, comentar e partilhar esse conteúdo

 

Ilustração Marketing Digital, Persona

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A nossa persona são os dirigentes das pequenas e medias empresas e os empreendedores individuais localizadas na C.P.L.P. Pretendemos simplificar tanto quanto possível as ferramentas, processos e estratégias a fim de que esse público possa beneficiar-se das oportunidades que a Internet oferece tanto para o lançamento de novos negócios quanto para a ampliação dos já existentes.

O mundo das SMB é bastante complexo. Comandadas normalmente por familiares impelidos a se tornarem empresários por via de herança ou da necessidade de criar uma alternativa à falta de emprego os pequenos e médios negócios padecem de vários males dentre outros fatores pela total absorção do tempo dos seus dirigentes no "tocar o negócio" deixando-lhes "sem tempo" para atividades fundamentais como planejamento, pesquisa e desenvolvimento por exemplo.

Justamente por não planejarem esses empresários são reativos, característica à qual junta-se a falta de uma base teórica e as vezes prática dos fundamentos da gestão eficaz ademais de serem atormentados por assuntos complexos que exigem, mas não recebem de sua parte, a devida atenção.

Dessa forma, esses empresários não conduzem suas empresas, antes pelo contrário são por elas conduzidos ao sabor dos acontecimentos do momento o que retarda seu crescimento e a modernização de suas práticas em todos os aspectos do negócio.

No que respeita o marketing estas organizações, com raras exceções, não possuem um plano não têm metas e objetivos claramente definidos e tampouco métodos para promover o seu crescimento. Ao longo de sua existência essa empresas sofrem altos e baixos frequentes e muitas delas sobrevivem aos trancos e barrancos

Esse cenário faz com que os seus dirigentes sejam, quase invariavelmente, pessoas com alto nível de estresse e pouco permeáveis a qualquer tipo de inovação. Decorre daí um grande desafio em convencê-los das oportunidades e benefícios que a era da Internet pode trazer aos seus negócios. Quando muito possuem um site, geralmente ultrapassado, ao qual dão pouca ou nenhuma atenção servindo o mesmo apenas como catálogo estático no qual o visitante, na melhor das hipóteses, obtêm o número do telefone. Evidentemente desconhecem o poder do email e não raro confundem spam com email marketing.

Ainda que o nosso desafio seja grande, estamos confiantes de que trabalhando em estreita colaboração com esses empresários seremos capazes de desenvolver soluções e estratégias adequadas às suas realidades individuais e assim transmitir-lhes a confiança necessária para a implementação de projetos de marketing digital que efetivamente aumentem o valor percebido dos suas marcas, produtos, serviços e promovam o crescimento sustentável e escalável dos seus negócios. Essa é a nossa missão

Ilustração pequenos negocios

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativaEstrela inativa

As PME cumprem um papel fundamental. Elas são responsáveis por empregar um grande número de pessoas e contribuem de forma decisiva para a estabilidade da economia do país.

No entanto essas empresas, em geral, não se dão conta dessa importância e do quanto poderiam contribuir ainda mais. É que muitas delas se acomodam e não têm uma filosofia, uma visão empresarial.

Em muitos casos isso acontece porque a empresa nasceu de uma necessidade urgente do empreendedor em resolver uma situação financeira grave que teve o efeito de por a sua criatividade a trabalhar e dai ter uma boa ideia e viabiliza-la.

No entanto, tal como uma planta, uma pessoa, toda empresa traz desde o seu nascimento, o gene do crescimento. Ela pede e necessita desse crescimento para se tornar robusta e resistir aos percalços comuns aos mercados.

Porém é comum os seus dirigentes acomodarem-se numa posição que lhes é confortável sem entender o papel do seu negócio para com seus trabalhadores, fornecedores e sociedade em geral.

Isso se dá, em muitos casos, pela falta de espirito empresarial e também por medo da complexidade que a empresa possa alcançar e assim fugir-lhes ao controle levando-os um ponto em que a empresa se torna interessante apenas para ele próprio.

É possível melhorar o desempenho e promover o crescimento controlado da empresa de modo a que ela venha a se tornar mais interessante para os seus clientes, para os seus dirigentes, colaboradores, fornecedores e sociedade adquirindo assim maior capacidade de resistência e sobrevivência.

Para que isso seja possível o primeiro passo é o empreendedor compreender que a empresa é um ente à parte. Ela tem uma vida própria que não se confunde nem se mistura à vida pessoal dos seus dirigentes.

No plano prático à essa tomada de consciência deve se seguir uma análise criteriosa do processos a fim de otimiza-los e com isso promover a produtividade

O atendimento ao cliente e a sua satisfação devem merecer a mais absoluta atenção não só para aumentar a venda através de promoções, de novos produtos e mesmo de venda cruzadas, como também o engajamento desses clientes na divulgação e promoção dos seus produtos e serviços.

Uma dos maiores diferenciais das pequenas empresas é a sua agilidade. Nelas a informação circula com maior rapidez e a tomada de decisão é muito mais célere do que nas grandes empresas.

Um outro fator muito importante é que nas pequenas empresas a integração entre as pessoas é mais fácil e os conflitos naturais são mais rapidamente detetados e resolvidos.

É também notável no ambiente das pequenas empresas o comprometimento dos colaboradores. Eles sentem-se mais acolhidos, mais próximos ao contrário do que sentiriam num grande agrupamento onde provavelmente se sentiriam anônimos na multidão. É esse conforto que faz com que sejam, muitas das vezes, mais responsáveis e comprometidos com a empresa do que os seus próprios donos.

Saber tirar partido, de forma honesta e justa, dessas características é uma poderosa ferramenta na melhoria geral do negócio. Portanto, ser simpático, atencioso, justo e honesto com seus colaboradores traz enormes benefícios para eles, para si e para a empresa.  

Se o empreendedor compreender bem essas características e souber maneja-las de forma adequada, a empresa cresce sem o risco da perda do seu controle.

Um bom começo para começar a transformar sua pequena empresa num grande negócio é entrar no ambiente da empresa e tomar consciência dela. Quero com isso dizer que o empresário deve chegar para trabalhar como se fosse o primeiro dia ou seja, como se tudo fosse uma novidade e fazer o exercício cotidiano de observar todos os detalhes de funcionamento da empresa a fim de detetar possíveis problemas e antecipara soluções em pontos onde se pode obter melhorias.


 

Ilustração pequenos negocios

Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativaEstrela inativa

O rigor não existe um marketing e um marketing digital. Só existe marketing. O que acontece é que o marketing, mesmo antes de o termo ser cunhado, sempre se apropriou das mais modernas tecnologias de comunicação para cumprir os seus objetivos.

E qual é o objetivo central do marketing? Na verdade o marketing não tem um único objetivo cada campanha pode ter um objetivo diferente. Promover uma causa, um produto, uma personalidade. Vender um produto, uma marca, etc. Parece-me apropriado afirmar que o objetivo central do marketing é compreender os mais profundamente possível os mecanismos que despertam no ser humano as necessidades e desejos a fim de propor-lhe meios de os satisfazer.

Na era pré Internet as ferramentas destinadas a esse fim eram complexas caras e o estudo levava muito tempo, de modo que apenas as grandes corporações podiam executa-los sobrando àS demais empresas tentar intuir os desejos, necessidades e comportamento do seu público para desenvolver produtos e serviços. 

Em muitos casos essa estratégia funciona porém em outros tantos os resultados ficam muito aquém daquilo que se esperava quando não resultam em verdadeiros fracassos.

Todo profissional de marketing digno desse status sonha com formas de tratar cada consumidor, cada cliente como único personalizando ao máximo as suas ofertas. Com a Internet, possivelmente o fenômeno de maior e mais duradouro impacto que o homem algum vez experimentou, esse sonho caminha a passos largos para tornar-se realidade.

Com a explosão dos meios para se comunicar e interagir com as pessoas os profissionais de marketing logo descobriram que ao invés de tentar adivinhar ou intuir é mais rápido, fácil e barato perguntar diretamente ao cliente e aos potenciais clientes o que eles querem comprar e não só. É igualmente cada vez mais fácil saber não só o que o cliente quer mas também como e quando ele quer adquirir o bem ou serviço.

Esse é apenas uma das possibilidades, talvez a mais central delas, na tarefa do marketing de conquistar novos clientes e fidelizar os já existentes.

Claro que as inovações trazidas pela Internet, como a mobilidade e a interatividade, para ficar apenas em duas, obrigaram ou melhor, criaram as condições para o desenvolvimento de novas técnicas e estratégias de se chegar ao consumidor e de atendê-lo com um grau de personalização quase que absoluto. Porém, no meu entender a coisa mais espetacular que a rede mundial criou foi a democratização dos recursos. 

Através da Internet e com os recursos das novas ferramentas criadas por ela qualquer pessoa, empresa ou organização, não importando o seu tamanho, segmento e localização, consegue acessar um enorme número de recursos capazes de fornecer-lhes dados e informações precisas sobre sua persona revelar seu comportamento e por esse meio criar, ampliar ou melhorar o seu negócio. É fácil compreender o alcance desses recursos. Basta olhar quantidade de pessoas que do nada tronaram-se milionários quase que instantaneamente.

Portanto, o que está a se passar nesses novos tempos é que o marketing ganhou uma expressão que nem mesmo os mais criativos e visionários dos profissionais do ramo poderiam pensar. Com os recursos proporcionados pela Internet mesmo um micro negócio pode disputar o mercado utilizando as mesmas ferramentas, táticas e estratégias outrora reservados apenas às grandes corporações.

Nos próximos artigos dessa serie trarei para você informações úteis sobre essas ferramentas, as técnicas e estregais que você pode e deve utilizar para tornar a sua empresa mais eficaz, atrair interessados no seu negócio e transforma-los em clientes satisfeitos e divulgadores da sua marca produtos e serviços.

Obrigado pela leitura e até a próxima. Não deixe de comentar e compartilhar esse artigo.


 

Subcategorias

 
© 2016 RBP Digital. Todos os direitos reservados. Designed By RBP Digital